sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Só pra ela...





Toda vez que eu me apaixono fico idiota.
Isso é normal e comum.
Mas acho que agora vai.

Ela é responsável, decidida e sabe me dar o carinho e a atenção necessárias.
A gente se adora, brigamos de vez enquando e até nos odiamos por alguns segundos, e é isso que me leva a crer que vai dar certo.
Quando as coisas estão 100% perfeitas e bonitinhas, me dá medo.
Enquanto tiver coisa pra mudar, é porque tem alguma coisa incomodando.Se não incomodasse é que seria problemático.
Adoro resolver nossos problemas, seja brigando ou conversando.
E eu te juro que meu empenho em querer fazer dar certo é verdadeiro e intenso.
E, como eu prometi, um poemeco pra ti.

Te amo, princesa.


Encontro
A distância que se mede em um olhar lacrimejado
A saudade que se mostra em um sorriso frouxo
A ausência que se toca em um abraço demorado
As lembranças que só o perfume certo trazem à tona.
A vontade contida no esperar das horas
O desejo que se consome nos sonhos inquietos
As palavras repletas de beleza pesam
No doce pesar que cresce a dor da despedida.
A chegada que nunca chega
A boca seca arde, queima por um beijo
A leveza tristonha de um momento a menos
E seus passos largos, rápidos como vento.
Só quero que chegues
E chegando, que aplaques minha angústia
E aplacada, a angústia dará lugar a alegria
E a alegria transbordará com som e paixão.
A paixão virá com fúria
E a fúria te trará com pressa
E com pressa, aprisiona a presa
Que és tu em meus tão aflitos braços.
Em meus braços, abraços mordazes
Mordazes, beijos ferozes
Ferozes, corpos, luxúria e volúpia
Volúpia que te fará minha.
Depois de atritos vulgares
Lugares memoráveis, romantismo púrpura
Corpos lívidos cansados
Pele nua que nos torna livres.
A liberdade de estar presa nos seus gestos
Traduzindo o que nossos teimosos olhos
Escondem, revelando ao piscar, sem se saber apaixonados
Ao se cruzarem delatam a nossa tão tamanha felicidade.

A hora da partida nunca vai chegar
Enquanto nossas pernas enlaçadas
Não permitem aos nossos passos se distanciar
Na cela que nos aprisiona
No nosso tão particular infinito
Nos limites desta cama
No tempo que dura do crepúsculo ao amanhecer
Na completude incompleta de quem ama.
Eu te amo.
Tu me amas?
Não responda, não precisa.
O silêncio dos teus braços já me basta.

2 comentários:

Bernardo disse...

Vejo que estas muito feliz! Fico feliz por isso! Desejo-lhe toda a felicidade do mundo e que realmente de certo desta vez! Beijao

Persefone disse...

Toda vez q fecho meus olhos lembro de vc em braços. Não queria q acabasse nunca aqueles dias. Me sinto a pessoa mais importante do mundo com todos esses elogios,com cada palavra q dizes... Eu espero nunca acordar desse sonho q estou vivendo com vc. TE AMO MINHA PRINCESA