quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Revolução

O amor é a maior revolução que poder-se-á fazer na humanidade. Uma revolução sem mortes e feridos. Uma revolução verdadeiramente pacifica. Uma revolução que compreende que existem dois caminhos pra responder a algo ofensivo: a vingança, que não te sacia e te coloca frente a baixeza de atitude do outro; ou o perdão, que te eleva e te poupa de conflitos futuros. Essa é a minha revolução, a das idéias, do diálogo e do AMOR, acima de tudo.

Tudo que é necessário, realmente, é que esse excesso de ódio espalhado na atualidade, nessa sociedade dita moderna, ou até mais do que isso, pós-moderna, se reduza a níveis ínfimos e que se converta em uma energia mais útil. É preciso que se construa novos cidadãos, com uma nova consciência. Precisa-se de uma nova juventude. Porque é dela que vai sair as novas mentes pensantes, os formadores de opinião, a massa crítica e também o senso comum de alguns anos a frente.

Não estou aqui enquanto militante, bradando frases de efeito e sacudindo bandeiras. Também não falo exclusivamente pelos crimes de ódio, como o racismo, a homofobia, a xenofobia, o neonazismo, dentre outros. Não falo apenas pela insistência em se repetir o velho padrão de submissão feminina, se propagando ainda com força com uma roupagem diferente, mais "moderna", que legitima que as mulheres esperem o homem tomar a frente e repassar essa educação à prole apenas por uma espécie de comodismo vindo da parte das próprias vítimas de tal coação, as mulheres. E não são poucas as ocasiões onde essas coisas ocorrem, infelizmente.

A mensagem é mais simples do que se pensa. Se fôssemos realmente civilizados, educados e pensantes como afirmamos, com tanto orgulho (e por conta disso nos auto-denominamos de "a espécie animal mais evoluída") saberíamos respeitar-nos enquanto seres humanos, acima, apesar e além de qualquer coisa, como etnia, gênero ou sexualidade. Ultimamente o nosso lado mais animalesco, o mais instistivo, é que tem estampado as manchetes de jornal. Mortes sem um propósito justificável, intolerâncias de todos os tipos... Em geral, o velho banho de sangue de sempre; violência, intolerância e preconceito pra todos os lados.

Não estou aqui pra enfatizar o velho e batido "amai-vos uns aos outros", embora seja uma boa verdade para os que acreditam em Deus. A mensagem é muito mais abrangente, e é tão simples, direta e objetiva que chega a ser complicado explicá-la.
RESPEITO deveria andar de mãos dadas com o BOM SENSO, mas como pedir os dois ao mesmo tempo de todas as pessoas é muito para a geração, se tivéssemos apenas um desses dois já seria o suficiente pra que a LIBERDADE andasse de mãos dadas à JUSTIÇA.A maior ironia disso tudo é que se essas palavras destacadas fossem pessoas, dado o gênero (masculino/feminino) de cada uma delas, seriam dois homens (respeito e bom senso) e duas mulheres (liberdade e justiça) andando de mãos dadas. Dois casais formados por pessoas de mesmo sexo. Imagine só se a gramática seguisse com rigidez os nossos comportamento sociais?? A comunicação certamente seria comprometida.

Então, pra não sermos injustos com a nossa língua mãe, e muito menos com outras pessoas, outros seres humanos, que tem problemas, qualidades, defeitos e sentimentos, como todo mundo, vamos repensar nossas atitudes, principalmente antes de colocar rótulos, afinal, não se trata de potes em uma prateleira, mas de indivíduos.
Antes de agir, pense.
Se não quer ser ferido, não fira. Respeite. As diferenças existem, sempre existiram e continuarão existindo independente da vontade de quem quer que seja, ou religião, ou conduta, ou valores morais próprios.

"Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las" - Voltaire

3 comentários:

Anônimo disse...

Droga, cadê aqueles seus contos eróticos? Quero ler sobre suas fantasias ou sobre sua jovem e destemida ousadia de agarramentos em banheiros públicos!

julio cesar disse...

querida tati meu comentario pra esse post seu é http://www.youtube.com/watch?v=7uE2-cc4f_k

Paulo Rodrigues disse...

http://rrpaulo.blogspot.com/2011/08/ex-gordinha-nerd-e-sapatao-mais-amada.html