sábado, 27 de agosto de 2011

Deixa

- Ela quer você. Já deu todos os indícios.
- Aham.
- Só isso? Não vai tomar atitude nenhuma?
- Não. Nunca soube fazer isso.
- Vai dizer que você é tímida?
- Não.
- Então não sabe chegar?
- Não...
- Não tá afim?
- Nãããããããão...
- Tá triste?
- Não!
- ENTÃO O QUE É, PORRA??
- Não sei usar.
- Usar o que?
- Alguém, um sentimento, um momento, a carne, sem compromisso, sem responsabilidade, assim, só por prazer, só por casualidade. Não sei usar.
- Ela foi embora agora...
- É, mas amanhã ela volta. Ela sabe onde me encontrar. E vai me procurar de novo, vai flertar comigo, vai me seduzir, vai me instigar, me convidar com aqueles olhos de leoa faminta, vai caminhar na minha frente como quem cerca a presa, vai chegar perto pra eu sentir o cheiro dela, vai me olhar bem dentro dos olhos e quase encostar nossas bocas, depois vai virar as costas, esperando que eu a siga.
- E você não segue.
- Claro que não.
- E também não corta de uma vez.
- Lógico que não!
- Você tá de brincadeira com ela...
- Não, é o contrário.
- Como você sabe?
- Porque ela me quer. Já deu todos os indícios.


Ás vezes é melhor deixar assim. Pra que falar? As coisas tem seu próprio curso na vida, é só deixar que cada uma delas siga o seu. Quer amar? Ame. Quer querer? Queira. Quer arder? Arda. Quer tentar? Tente. Quer seguir? Siga. Quer parar? Pare. Quer chorar? Chore. Quer viver? Viva. Nenhuma dessas coisas e muitas outras precisa de autorização pra acontecer.
É só seguir o fluxo.

Um comentário:

Paulo Rodrigues disse...

Emoções e sensações nunca devem ser desconsideradas mesmo.
Serviu pra mim esse post!
=D